» »Unlabelled » Mercado estima que aumento médio do combustível fique entre 5% e 7% nas bombas




O consumidor pernambucano vai pagar R$ 9,95 a mais para encher o tanque (45 litros) de gasolina com a volta da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) a partir de 1º de fevereiro. O cálculo foi feito pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) levando em conta o preço médio de R$ 2,79 por litro de gasolina fixado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) e o repasse integral do valor da Cide e PIS-Cofins de R$ 0,22 na refinaria. A estimativa do mercado é que o aumento médio fique entre 5% e 7% nas bombas no país, dependendo da concorrência entre as distribuidoras de combustíveis.

O aumento do preço da gasolina é mais arrocho para o bolso do trabalhador. “É uma medida de compensação dos prejuízos da má administração e dos desvios do governo. Quem vai pagar a conta é o consumidor”, reclama o contador Élemer Janovitz, 47. Ele conta que percorre uma média de 20 km/dia e abastece com gasolina (80%) e com álcool hidratado (20%). “O jeito é pagar mais caro”.
Assim como Élemer, o motorista Luiz Joaquim de França, 55, diz que não pode abrir mão do carro porque faz parte da sua atividade diária. Ele gasta um tanque de gasolina por semana e paga em média R$ 112 para abastecer, dependendo do preço promocional dos postos de gasolina na Região Metropolitana do Recife (RMR). “Eu acho que está errado porque o aumento de imposto só cai em cima do trabalhador”.
Cauteloso, o presidente do Sindicombustíveis de Pernambuco (sindicato dos postos de gasolina),Alfredo Pinheiro Ramos, diz que haverá impacto da Cide nos preços dos combustíveis, mas evita apontar o preço futuro. Segundo ele, o preço da gasolina é uma guerra no Recife e na RMR. “As distribuidoras já avisaram que vão tirar o desconto do PIS-Cofins e da Cide”. Miguel Oliveira, diretor-executivo da Anefac, é taxativo: “Vai ser repassado de imediato e embutido no preço tão logo os postos de gasolina recebam o combustível com o novo preço praticado na refinaria”.
O peso da Cide, R$ 0,11 por litro de óleo diesel, e do PIS-Cofins vão puxar para cima os preços dos alimentos no varejo. O diesel mais caro rebaterá no preço do frete e aumentará os custos dos comerciantes atacadistas. José Luiz Torres, presidente da Associação Pernambucana de Atacadistas e Distribuidores (Aspa), diz que a volta do imposto de combustíveis vai aumentar os preços ao consumidor final.
A volta da Cide vai reforçar o caixa dos estados. O setor de combustíveis é um dos mais importantes para a arrecadação do ICMS. A Secretaria da Fazenda de Pernambuco ainda não calculou o impacto da Cide. Em 2014, estado arrecadou R$ 2,64 bilhões de ICMS de combustíveis.

Saiba mais

Preço médio do litro no Recife                    R$ 2,79
Preço médio do litro no Recife com a Cide + Pis-Cofins (R$ 0,22)    R$ 3,01

Tanque de 45 litros – preço atual                     R$ 125,55
Tanque de 45 litros – preço com a Cide                R$ 135,45

Diferença do preço para encher o tanque                R$ 9,95 


Por Rosa Falcão
Do Diário de Pernambuco

Postador Paulo Pinto

Aqui você coloca uma descrição do postador exemplo. Oi lá! eu sou um verdadeiro entusiasta Na minha vida pessoal eu gastar tempo com a fotografia, escalada, mergulho e passeios de bicicleta da sujeira.
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta