» »Unlabelled » Esquema rendeu US$ 200 milhões de propina para o PT, diz delator

Na véspera do aniversário de 35 anos, o PT viu, na manhã de ontem, o seu tesoureiro, João Vaccari Neto, ser conduzido coercitivamente para a Polícia Federal como investigado no âmbito da Operação Lava-Jato para explicar doações eleitorais recebidas pela sigla. Os policiais tiveram que pular o portão da casa dele, em São Paulo, porque o tesoureiro se recusou a permitir o acesso. O envolvimento direto de Vaccari no esquema bilionário de corrupção na Petrobras, que deixou o conselho político do Palácio do Planalto em alerta, foi apontado, em depoimento revelado ontem, pelo ex-gerente de Engenharia da Petrobras Pedro Barusco.
Em vários termos de colaboração, ele revelou que, no período de 2003 a 2013, o PT recebeu entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões provenientes de propinas pagas por empreiteiras para obter vantagens em 90 grandes contratos assinados com a estatal. Barusco lembrou, por exemplo, que Vaccari, em nome do PT, recebeu do Estaleiro Keppel Fels US$ 4,5 milhões. O esquema de suborno teria funcionado até fevereiro do ano passado.
Denominada My Way, a nona fase da investigação identificou mais 11 operadores da organização criminosa com atuação semelhante à do doleiro Alberto Youssef, cumpriu dois mandados de prisão e outros 40 de busca e apreensão. A novidade do depoimento é que o esquema de corrupção - até agora restrito às diretorias de Serviços, de Abastecimento e Internacional - também tinha braços nos departamentos de Gás e Energia e Exploração e Produção. Na área de Gás e Energia, Barusco explicou que o percentual da propina variava entre 1% e 2%. “Desses 2%, metade era para o PT, representado por João Vaccari Neto, e a outra metade era para a ‘Casa’, representada, por Renato Duque”, afirmou.
Houve, conforme o delator, pagamento de propinas em obras da Refinaria Abreu e Lima (PE), do Complexo Pteroquímico do Rio de Janeiro,  em grandes plataformas e na construção de oito cascos de navios do pré-sal.
 
My way

A nona fase da Operação Lava-Jato ganhou o nome de um dos maiores sucessos de Frank Sinatra porque é assim que o ex-gerente-executivo da Petrobras Pedro Barusco se refere ao ex-diretor de Serviços da petrolífera Renato Duque.

Pedro Barusco
Era gerente executivo da Diretoria de Serviços, espécie de número 2 de Renato Duque. Fez delação premiada e concordou em devolver US$ 100 milhões desviados no esquema de corrupção na Petrobras.

Renato Duque
Foi preso na sétima fase da Lava-Jato. Ex-diretor de Serviços da Petrobras, ele conseguiu habeas corpus em dezembro. De acordo com o doleiro Alberto Youssef e com o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa, Duque era um dos beneficiados do esquema de propina, sendo o “homem do PT” na engrenagem do esquema. A Procuradoria-Geral da República já se manifestou por uma nova prisão de Duque.

João Vaccari Neto
Tesoureiro do PT, conduzido pela Polícia Federal para prestar depoimento sobre a suposta participação na Lava-Jato. De acordo com Paulo Roberto Costa, ele era o responsável por distribuir a propina recebida por contratos da Petrobras ao PT. Depois de falar aos investigadores, foi liberado.

Novos pedidos de prisão

Gilson João Pereira, sócio e presidente da Arxo: prisão temporária cumprida

Sérgio Ambrósio Maçaneiro, um dos diretores da Arxo: prisão temporária cumprida

João Gualberto Pereira Neto, sócio da Arxo, prisão temporária não cumprida, está nos Estados Unidos e informou que se entregará quando voltar

Mário Goes, um dos operadores do esquema, prisão preventiva não cumprida

A Arxo
É a principal empresa investigada nesta fase da Lava-Jato. Fechou contrato de R$ 85 milhões com a BR Distribuidora para fornecer 80 caminhões de abastecimento de aviões. Delegados e procuradores suspeitam que a empresa pagou propina em troca de informações privilegiadas para obter contratos com subsidiárias da Petrobras.

Os números

11
Novos operadores foram identificados pela polícia

25
Empresas envolvidas, sediadas em São Paulo, Bahia, Santa Catarina e Rio de Janeiro, a maioria de fachada, são investigadas nesta fase

62
mandados judiciais expedidos

1
prisão preventiva

3
prisões temporárias

18
conduções coercitivas

40
mandados de busca e apreensão

200
policiais federais participaram do cumprimento de mandado

25
servidores da Receita Federal participaram do cumprimento de mandado

500
relógios de luxo foram apreendidos 


Do Diário de Pernambuco
Foto: Felipe Rau/Estadão

Postador Paulo Pinto

Aqui você coloca uma descrição do postador exemplo. Oi lá! eu sou um verdadeiro entusiasta Na minha vida pessoal eu gastar tempo com a fotografia, escalada, mergulho e passeios de bicicleta da sujeira.
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta