» » » Pernambuco bate mais um recorde de violência


Daniel da Silva Santos, 32 anos, Maycon Renan Duarte Brito, 28, Luiz Carlos Estevão dos Santos, 32, Cícero Romão Neto, 23... A lista é extensa. Ao todo, 548 pessoas foram assassinadas em Pernambuco no mês de março, uma média de 17,6 por dia. Um recorde nada desejado (fevereiro já havia apresentado o maior número em dez anos, com 498 homicídios) que vem sendo superado mês a mês e que deixa sucessivas tragédias familiares perdidas entre os números.
Com as estatísticas do mês de março – divulgadas no site da Secretaria de Defesa Social  – Pernambuco contabiliza 1.522 homicídios em três meses, 466 pessoas (44%) a mais do que no mesmo período de 2016, que teve 1.056 assassinatos.
O Interior do Estado é a região que apresenta dados mais preocupantes. No total, 828 mortes, sendo 295 somente em março. Na Região Metropolitana foram 454 homicídios, 157 no último mês. Já na capital pernambucana, houve 240 mortes, 96 em março. O balanço indica também um aumento nas ocorrências de estupro entre fevereiro (155) e março (165), somando 497 no trimestre. Os casos de violência doméstica saltaram de 2.464 para 2.659, totalizando 8.065 em três meses.
Há uma pequena queda dos Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP, roubos em geral) entre março (10.321) e fevereiro (9.962), apesar de os números em gerais serem bastante altos: 31.570 ocorrências em três meses. Também consta no balanço redução de assaltos a ônibus de 177 para 147, totalizando 523 no trimestre, cerca de um terço do número contabilizado pelo Sindicato dos Rodoviários.
Já o roubo de veículos subiu de 1.603 em fevereiro para 1.881 em março, somando 5.261 casos no trimestre. E o furto de veículos saiu de 572 para 584, toalizando 1.791 nos três meses. As investidas contra instituições bancárias subiram de 11 para 17.



Secretário de Defesa Social

O secretário de Defesa Social, Angelo Gioia, disse neste domingo (16) que o Estado vai vencer a batalha contra a violência e que, para isso, “o governo está enfrentando problemas estruturais sérios”. Ele classificou “num patamar alto” a média de 17,6 homicídios por dia em março último em Pernambuco. E atribuiu grande parte dos assassinatos a três situações: os egressos do sistema prisional, os grupos que matam mediante pagamento e a disputa por espaço envolvendo o tráfico de drogas.

Numa entrevista por telefone ao JC, Angelo citou ações tomadas para diminuir o número de homicídios, como a contratação de novos servidores, investimentos para equipar a polícia e a mudança de foco nas investigações da polícia civil, entre outras. Segundo ele, tanto a Polícia Militar como a civil estão atuando mais nos lugares com uma incidência maior de homicídios. “Minha esperança é de que ocorra uma redução no número absoluto de homicídios no balanço de abril que será apresentado no próximo dia 15 (de maio)”.
Ainda neste domingo (16), a Folha de São Paulo publicou uma matéria mostrando o aumento de 47% no número de homicídios em Pernambuco em fevereiro último, comparando com o mesmo mês de 2016. “Os números são aqueles mesmos. Mas não se pode falar em segurança sem citar as ações do PCC (organização criminosa) e sem olhar o sistema prisional que tem problemas sérios. Estamos trabalhando muito para devolver a segurança à população”, concluiu.

Oposição

A bancada de oposição da Assembleia Legislativa contabiliza 1.650 homicídios até o dia 10 de abril. O presidente da bancada, deputado Sílvio Costa Filho, diz que as medidas do governo têm sido inócuas. “Chega de troca de secretário e de comandantes. Chega de trocar viatura e não ter combustível para rodar. Os princípios do Pacto pela Vida precisam ser resgatados, e isso passa pela transparência e pelo diálogo com os agentes de segurança e com toda a sociedade”.

Investimentos

Às vésperas da divulgação do novo balanço da violência em Pernambuco, o Governo do Estado anunciou um investimento de R$ 290,8 milhões no setor, mas boa parte dos recursos são para custear ações já divulgadas anteriormente. Só para a contratação de 4,5 mil policiais, a maior parte já concursada, são R$ 140 milhões.
O restante será investido em equipamentos, inclusive dois helicópteros com visão noturna para enfrentamento de quadrilhas de assaltantes de banco e seis lanchas para combater o tráfico de drogas no Sertão e Zona da Mata. Além de 320 novas caminhonetes para o patrulhamento de áreas rurais de difícil acesso, 487 veículos do tipo hatch, 700 motocicletas e 12 veículos de grande porte para o Batalhão de Choque.
No Facebook, o especialista em segurança Jose Luiz Ratton criticou o plano, cobrando ações de integração, prevenção, melhor formação policial, tecnologia e sistemas de inteligência, além de medidas voltadas para o sistema prisional e menores infratores.
“Não há projetos voltados para egressos da Funase ou do Sistema Prisional, nem estratégias claras dirigidas para a redução da violência contra as mulheres e contra a população LGBT. Não se fala de fortalecimento da corregedoria, de recuperação de uma ouvidoria independente, de controle da letalidade policial, de articulação com o Ministério Público e com o Judiciário”, diz Ratton. 

Do JC online
Foto reprodução TV Jornal

Postador Paulo Pinto

Aqui você coloca uma descrição do postador exemplo. Oi lá! eu sou um verdadeiro entusiasta Na minha vida pessoal eu gastar tempo com a fotografia, escalada, mergulho e passeios de bicicleta da sujeira.
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta