» » » Pernambuco é pouco competitivo na visão de empresários



O ambiente de negócios em Pernambuco ainda precisa melhorar muito para ser competitivo. É o que acredita um grupo de 100 executivos de empresas no Estado ouvidos na Pesquisa de Competitividade Regional, realizada pela Amcham Brasil (Câmara Americana do Comércio no Brasil). A iniciativa é o recorte local do projeto nacional Seu País, Sua Decisão; que convida presidenciáveis para discutir o tema e apresentar suas propostas. Ontem, na sede da Amcham no Pina, o pré-candidato ao governo de Pernambuco pela coligação Pernambuco Vai Mudar, Armando Monteiro Neto (PTB) participou da apresentação da pesquisa A Competitividade de Pernambuco.
Diferente do otimismo que pairava nos anos anteriores à recessão econômica (2015 e 2016), atualmente as empresas com atuação no Estado estão mais críticas em relação ao ambiente competitivo local. Pelo levantamento, 85,8% dos executivos não enxergam Pernambuco competitivo em relação aos outros Estados. Do total de entrevistados, 45% consideram o ambiente pouco competitivo e outros 41% sem grande relevância em relação ao restante do Brasil. Só 14% consideram o Estado em melhor situação que os demais.
A superintendente Regional da Amcham no Nordeste, Alessandra Andrade, observa a importância de unir iniciativa privada e governo para discutir o ambiente de negócios no País, sobretudo num período de eleições. “Nossa proposta é construir uma agenda concreta em favor da nossa retomada econômica. Nesse sentido, a pesquisa contribui com uma agenda propositiva identificando pontos de melhorias e diferenciais competitivos em prol da geração de emprego, renda e investimentos”, defende.
Depois de enfrentar queda de 3,5% no PIB de 2015 e de 4,2% em 2016, Pernambuco registrou crescimento de 2% na atividade econômica no ano passado e espera pelo menos repetir o feito neste exercício.

DESVANTAGENS
Questionados sobre as principais desvantagens do Estado, a segurança pública foi o item mais repedido pelos empresários, com 59,3% das respostas. Divulgado na última quinta-feira, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2018 coloca Pernambuco em quarto lugar na lista dos Estados mais violentos do País, com uma taxa de 57,3 Crimes Violentos Letais Intencionais (CLVIs) por grupo de cem mil habitantes em 2017, em melhor situação apenas que Rio Grande do Norte (68), Acre (63,9) e Ceará (59,1). “A taxa de Pernambuco é quase o dobro da média nacional, que fechou em 30,8 CVLIs por cem mil habitantes”, comparou Armando Monteiro, durante o evento da Amcham.
Outras desvantagens apresentadas pelos empresários foram infraestrutura defasada, a falta de uma rede interligada de transporte e um sistema de logística pouco eficiente. Já na lista de características positivas que diferenciam Pernambuco de outros estados, os empresários identificaram pontos como a qualidade das universidades e centros de tecnologia; a presença de empresas de grande porte na matriz industrial, mão de obra qualificada e benefícios fiscais foram as mais citadas.
Nos questionamentos sobre infraestrutura, os empresários apontaram a necessidade de tocar obras como arco metropolitano, VLT e ferrovia Transnordestina e de apostar na ampliação do uso da energia solar, eólica e do gás natural. Os executivos também não avaliaram positivamente a política de Parcerias Público-Privadas (PPPs), com 80% não enxergando como uma experiência de sucesso.

Foto: Léo Caldas/Divulgação
Do JC online

Postador Paulo Pinto

Aqui você coloca uma descrição do postador exemplo. Oi lá! eu sou um verdadeiro entusiasta Na minha vida pessoal eu gastar tempo com a fotografia, escalada, mergulho e passeios de bicicleta da sujeira.
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta